2.11.08

Na última curva

Fazia tempo que eu não me entusiasmava tanto com um espetáculo esportivo como aconteceu hoje, na corrida final da F1.

E acho F1 algo meio tedioso, de modo geral.

Para quem não viu, Felipe Massa liderou a prova toda e Hamilton permaneceu na quinta posição, com seu companheiro de equipe em sétimo - sendo que precisava ficar em sexto, no mínimo, caso Massa vencesse. Para quem não sabe nada, não tem televisão em casa, ambos disputavam o título. Faltando um pouco menos de dez voltas para o final, caiu uma chuva e, como todos estavam com pneu pra pista seca, e é praticamente impossível pilotar nesta situação, praticamente todos foram trocar os pneus. Um dos pilotos, Glock, que estava atrás, permeneceu com o pneu impróprio e ganhou o quinto lugar por isso. Hamilton agora estava em sexto, a três voltas do fim - ainda seria campeão. Mas Vettel, que estava colado em Hamilton, o ultrapassa de modo brilhante. Em sétimo, perderia o título por dois pontos.

Massa campeão!?

Toda a torcida então começa a comemorar. A equipe da Ferrari toda se levanta. Hamilton parte desesperado pra cima de Vettel. A câmera da TV foca várias vezes seu carro praticamente derrapando de tão fundo que pisava no acelerador. Última volta. Massa dispara na frente e vence o GP, sobrando. Mas Glock, com pneu pra pista seca, perde o controle do carro e perde velocidade, portanto, a 400 metros do final!

O céu cai.

Chuva.

Tanto Vettel quanto Hamilton ultrapassam Glock. Toda a equipe da Ferrari, em êxtase, não percebe e comemora o tão improvável quanto falso título de Massa. Foi o primeiro campeonato da história da F1 decidido no limite, absolutamente, no último instante, na última curva.

Nenhum comentário: