26.12.08

Uma pergunta óbvia:

Ontem passei o dia com uma amiga grega e, no início da noite, com a cidade já escura, passeando de carro pelas ruas do Centro de Florianópolis - e dizíamos a ela que tudo aquilo fazia parte do Centro da cidade - ela então nos perguntou:

Pero por que no hay gente en las calles? No hay nadie!

Já estamos acostumados e se tornou um senso-comum dizer que o Centro de Florianópolis é a região mais morta da cidade (coisa que amenizou um pouco com a abertura de dois bares que deram certo: o Blues Velvet e o Taliesyn) mas quando a pergunta reaparece assim, cheia de frescor, o problema se elabora de outro modo e nos provoca a procurar uma resposta que talvez nem seja assim tão evidente - e eu não soube responder muito bem:

Hm, es un desierto guapíssimo, no?

Nenhum comentário: