25.1.09

60km/h

Hoje, pela manhã, fui levar minha namorada no aeroporto, junto com o seu pai. O avião saía às 9h e acordamos perto das 8h - ela, pelo menos - provavelmente atrasados. Parece que ela não conseguiu fazer check-in online porque aquele site da Gol não serve pra nada. Mas o maior erro foi ter deixado seu pai dirigir.

Para começar, via de regra, todo sogro dirige mal. E para piorar, jamais podemos sequer insinuar algo sequer próximo disso. Então devemos perguntar coisas assim de um modo meio contido:

O sr, por acaso, o sr..... será que não está um pouco, assim, lento?


Depois de breve silêncio, respondeu nestes termos:

60 kilômetros por hora é a velocidade média de um carro dirigido por um sujeito comum.

Procurei ficar no mesmo nível:

É que, bem, o sr sabe, nossa condição de sujeito comum está suspensa desde o momento em que acordamos tarde.

Meu sogro então lembrou de uma história sua em um aeroporto carioca: enquanto o avião o esperava, um sujeito da empresa aérea reclamava que seu cheque estava se referindo à cidade de São Paulo, ele estava no Rio de Janeiro, e então me disse que pegou um cheque em branco e escreveu tudo novamente de maneira lenta, assim, a 60 kilômetros por hora. Mantive a serenidade. Depois, com uma pequena redução na velocidade, ele começou a contar de um livro de Vargas Llosa que estava lendo - mesmo sabendo, e talvez justamente por isso, que eu não tenho a mínima relação com a literatura de Llosa. Ele dizia tudo isso e olhava no retrovisor, pra ver minha expressão apreensiva, pois eu estava sentado no banco de trás. De minha parte, mantinha a serenidade - ou seja, não dizia nada. Na verdade, aguardava uma resposta, que veio depois de uma permanente luta de silêncios:

Se eu andar mais rápido que isso, ganharemos apenas um minuto ou talvez dois. É pouco. E há a possibilidade de multas.

Ele me disse isso - o argumento das multas é devastador - e reduziu o carro em uma sinaleira ainda verde, caindo para o amarelo. Olhou no retrovisor. Olhei no relógio. Minha namorada permanecia impassível. Ele abriu a janela do carro. Ela também. Comentaram da paisagem. E ele então assobiou.

Mas mantive a serenidade até o final.

E ele manteve a velocidade.

Um comentário:

Maiza disse...

igualzin ao meu pai o pai da lu =)