11.2.09

Duas expressões, uma medida

Há duas expressões que eu levo sempre comigo: 'praticamente' e 'em tese'. E sugiro a todos que façam o mesmo. São expressões úteis. Elas permitem, sobretudo, que você minta com elegância. Para debates intelectuais, então, são especialmente úteis, utilíssimas. Se alguém diz qualquer bobagem e você não quer confusão, mas também não quer assumir a bobagem perante o público, você mete a expressão no meio de qualquer lugar, assim:

Eu concordo com você, .... em tese.

Ou então:

Muito bom, isto é praticamente o que eu penso.

É quase um paradoxo filosófico, você dá um nó.

5 comentários:

livia lima disse...

Outra que gosto bastante e recomendo, mas admito não ser tanto das finesses:

"é foda"

Como toda foda, serve pra coisas boas, ruins, amenas, tediosas... como uma peça de um grande amigo, um livro... e por aí vai.

Vale a pena!

Fábio Brüggemann disse...

concordo com você, em tese.

Maiza disse...

é, em açougues, por exemplo, ouvi dizer que se usa bastante essas expressões...
"eu disse 'praticamente'!" (não esquecer do sotaque mané do açougueiro)

Carol Marossi disse...

Eu uso as expressõe 'em tese' e 'a priori' direto, hehehehe!

Beijo, Victor!

Pedro Bennaton disse...

pode ser