28.4.09

O Juan não tem culpa de nada


Juan faz falta violenta em Maicosuel, depois agride o garoto de 19 anos ainda caído no chão, dizendo coisas feias no seu ouvido (apenas porque levou um drible seco e absolutamente normal, ou seja: 'sem humilhação') e, sim, a responsável pelo episódio é a imprensa esportiva brasileira, que fica com esta conversa de que futebol é coisa objetiva, funcional - cosa mentale. O resultado é este: atacante não pode mais fazer nada além da norma - com o garoto do Santos acontece a mesma coisa - e o futebol brasileiro fica nivelado pela mediocridade dos outros. Ora, Garrinha entortava o zagueiro para um lado, para o outro, o zagueira caía, Garrinha lhe dava as mãos e o levantava para entortar outra vez, em plena Copa do Mundo, mas os tempos eram outros, mesmo que o futebol naquele tempo fosse muito mais violento do que hoje. Mas então é só lembrar o balão do Ronaldinho Gaúcho, para um lado e para o outro, e agora outra vez, e mais outro, dia destes. Ou o Edmundo dançando sua dancinha da garrafa na ponta direita de um Maracanã lotado, dia destes. A tese do futebol objetivo tem sua história no Brasil: é a linha (dura) que determina a CBF desde a Copa de 70 - e que tem hoje o Dunga como seu maior herdeiro, mas teve também Parreira, Zagalo e até mesmo, embora com as devidas diferenças, o próprio Felipão, e é por isso que eu não torço e nem vou torcer para esta seleção brasileira, embora isso não mude coisa nenhuma. O Juan, coitado, não tem culpa de nada.

2 comentários:

Fabricio C. Boppré disse...

Quanto a imprensa e a CBF, tudo bem, agora não entendi se tu criticou o comportamento do Juan... Bom, assim como o direito do atacante de humilhar o zagueiro é uma coisa sagrada no futebol, o direito do zagueiro de falar no ouvido no atacante também é, sempre foi. Defender um em detrimento do outro é ridículo! Textinho didático sobre isso, para complementar (ou corrigir?) o teu post: http://flamengonet.blogspot.com/2009/04/afastado-do-blog-por-motivos.html. Ah, e uma correção fatual, o Maicossuel tem 23 anos.

Anônimo disse...

que alegria, um texto sobre futebol! confesso que vou dormir com cara de interrogação, mas mais feliz!