16.5.09

O replay e a melancolia


Talvez o modo mais comum de definir o jogo de futebol se relacione com a imagem do gol – a espera do gol. Apesar de não ser falsa, no entanto, a definição também não parece suficiente. De qualquer modo, a meu ver, o futebol ainda se define como um jogo de esperas – um jogo em que aprendemos a suportar a passagem do tempo: a própria vacância da passagem do tempo. Seu caráter narrativo deve consistir nisso, então: na espera de um acontecimento. Sua narrativa talvez fosse extremamente monótona – e é, de qualquer maneira – caso não trouxesse o tempo da espera enquanto uma superfície sempre aberta para sofrer qualquer acidente. Em algum momento algo irá se romper. Assim o replay, técnica narrativa cada vez mais explorada pelas mídias que transmitem o futebol – e de fato parece cada vez menos possível imaginar o futebol descolado de suas mídias, desde a televisão até o rádio e também a internet, que estabeleceu o “minuto a minuto” como narrativa própria – o replay funciona como recuperação infinita de um momento perdido. Há certa melancolia no replay.

Nenhum comentário: