27.7.09

Quem eu penso que sou (II)

Posso garantir que as primeiras consequências da réplica de sábado foram muito boas. Em apenas dois dias, consegui inúmeros seguidores no twitter.

25 comentários:

Anônimo disse...

se fosse no orkut, seriam amigos!

Anônimo disse...

engraçado alguns queimam a professora que argumentou sobe o texto do novo cacau meneses, que faz distinção entre amigos, ora, claro, se o grupo erro faz hoje uma performance - excelente, fora de questão - e é apresentada pelo site da udesc, é de se pensar. A professora não faz parte da panelinha. O curador alemão - o personagem mais piegas inventado por aqui (ganhando do cacau meneses) - deveria estar ali na praça. certo ou errado? ah, claro, ele só saberia dessa performance - excelente - se lesse um caderno de cultura onde 90% dos "colaboradores" são mestrando em literatura. Claro! ou.. no site da udesc. onde aquela professora trabalha (?!) será que não é tudo da mesma laia? Fora a performance - excelente - é claro. Um quer aparecer e outra nunca apareceu; na página do meio do jornal do cacau. Ha. ha. ha. Excelente.

Anônimo disse...

é curioso quem quem defende a professora parece escrever do mesmo modo como ela escreve / e depois dizem que os literatos é que são radicais na agramaticalidade!

Anônimo disse...

agora virou uma dicotomia básica entre defender uma ou outro, curioso mesmo é o fato da inexistência de crítica, ou seja, o assunto mesmo (da gênese de tudo aqui) não importa, desde que se crie a fama e se deite na cama. por isso é muito pior, é cacau meneses mesmo. prá melhor ou pior. não sou daqui, gosto de uns textos de você, e mesmo que eu não tenha ligação com a universidade ou com as raparigas da RBS, gosto de pensar e discutir. Por este lado, parabéns à polêmica, só não se perca na vaidade da pessoalidade.

Anônimo disse...

pareço moderno...

Anônimo disse...

o debate crítico está aí. o que ninguém enxerga ou entende é que não é o crítico que tem que tomar partido (PELO AMOR DE DEUS), mas as partes envolvidas, ou não?

vejamos: os "artistas/empresários/curadores e afins" da galeria "contemporânea" choram pelos cantos, cobram $$ o prejuízo do Erro, jogam praga, mas, publicamente se omitem. não dão as caras. não era o mínimo que eles teriam que ter feito, buscar o debate público, fomentar a discussão em alto nível. não?, não? o que fizeram? se esconderam covardemente atrás da bela fachada. falam com um ou com outro, mas a boca pequena, como se diz. (isso eu sei, todo mundo sabe)
os organizadores do evento também se omitiram. um deles publicou um artigo no jornal, não tocou no assunto, foi como se o Erro e a perfomance não estivesse lá. e, olha amigos, que ele assistiu tudinho de pertinho. ninguém achou isso estranho? ah! tenha dó. e mesmo assim, só henhenhen. o fulano falou, o ciclano também. a galeria aplaudiu de pé a puxada de sardinha para o seu lado. mas e o debate? por fim, o Erro, o grupo responsável por esse agito todo. cadê o texto deles no jornal? num blog? cadê? o grupo só resmungou por todo canto da cidade, ficou se lamuriando feito cachorro manco. ou seja, fulano fala do espaço, que fala do grupo, que fala do organizador, que fala, que fala, que fala. aí vem o crítico e aponta o dedo na cara de todos. " FALTA DEBATE NA CIDADE" e todos se ofendem com ele. então, é o crítico que é covarde, que se omite, que quer ficar amigo de todo mundo? quem acredita mesmo nisso? tirando os que não gostam do crítico por questões pessoais, é claro. acho que ninguém.
e, por fim, achando que vai debater algo, vem essa " ssora" (sic) aí. poderia ter falado do espaço, defendido os amigos do grupo Erro, ter falado do texto do organizador que não disse nada com nada,, qualquer coisa. no entanto, preferiu redigir aquelas linhas toscas que todo mundo leu. então.. tudo vem à tona e é culpa do suposto crítico.
a culpa é sua victor, confesse!

Anônimo disse...

o debate crítico está aí. o que ninguém enxerga ou entende é que não é o crítico que tem que tomar partido (PELO AMOR DE DEUS), mas as partes envolvidas, ou não?

vejamos: os "artistas/empresários/curadores e afins" da galeria "contemporânea" choram pelos cantos, cobram $$ o prejuízo do Erro, jogam praga, mas, publicamente se omitem. não dão as caras. não era o mínimo que eles teriam que ter feito, buscar o debate público, fomentar a discussão em alto nível. não?, não? o que fizeram? se esconderam covardemente atrás da bela fachada. falam com um ou com outro, mas a boca pequena, como se diz. (isso eu sei, todo mundo sabe)
os organizadores do evento também se omitiram. um deles publicou um artigo no jornal, não tocou no assunto, foi como se o Erro e a perfomance não estivesse lá. e, olha amigos, que ele assistiu tudinho de pertinho. ninguém achou isso estranho? ah! tenha dó. e mesmo assim, só henhenhen. o fulano falou, o ciclano também. a galeria aplaudiu de pé a puxada de sardinha para o seu lado. mas e o debate? por fim, o Erro, o grupo responsável por esse agito todo. cadê o texto deles no jornal? num blog? cadê? o grupo só resmungou por todo canto da cidade, ficou se lamuriando feito cachorro manco. ou seja, fulano fala do espaço, que fala do grupo, que fala do organizador, que fala, que fala, que fala. aí vem o crítico e aponta o dedo na cara de todos. " FALTA DEBATE NA CIDADE" e todos se ofendem com ele. então, é o crítico que é covarde, que se omite, que quer ficar amigo de todo mundo? quem acredita mesmo nisso? tirando os que não gostam do crítico por questões pessoais, é claro. acho que ninguém.
e, por fim, achando que vai debater algo, vem essa " ssora" (sic) aí. poderia ter falado do espaço, defendido os amigos do grupo Erro, ter falado do texto do organizador que não disse nada com nada,, qualquer coisa. no entanto, preferiu redigir aquelas linhas toscas que todo mundo leu. então.. tudo vem à tona e é culpa do suposto crítico.
a culpa é sua victor, confesse!

Anônimo disse...

falou e disse.

Sua outra Professora do CCE disse...

O anônimo acima não esta muito bem informado, o Erro estava lá no centro fazendo festa hoje! O texto do Erro nos jornais hoje estavam anunciando mais uma ação do grupo. E ninguém resmungou nada, só festa e comemoração... Você não foi na Festa porque só acessa esse blog para se informar? Pois é, o Victor dessa vez não anunciou nada aqui...
Não sabia que o Erro escreve em jornal. Eles tem blog? Se tiverem, por favor me passem o endereço, não achei nada. Também não me lembro quando que o Erro veio a público explicar uma obra? Na minha opinião, o grupo em suas ações já se coloca para o debate público.
Só não escreveu sobre o que aconteceu na performance, quem não quis ou não teve coragem.

Anônimo disse...

porras, uma professora do cce que escreve mal prá caralho. credo.

Anônimo disse...

A ssora da UFSC, escreve tão mal quanto a ssora da UDESC.
Agora entendi porque o Victor também escreve tão mal assim e porque ninguém mais escreve.

Victor da Rosa disse...

A propósito, esta vírgula depois de "UFSC" é incorreta. Nunca separe o sujeito do verbo com uma vírgula. É a primeira lição de sintaxe.

Anônimo disse...

texto confuso esse dessa " sua outra professora do cce" credo - ui!
acontece que o anônimo que disse que todos se esconderam covardemente e, só resmungaram pelo canto, está coberto de razão. não disse para o Erro explicar a performance. disse para eles entrarem no debate publicamente. todos se esconderam. concordo. o Erro (lamentavelmente) os organizadores (vergonhosamente) e os empresários da galeria (previsivelmente) .
e, concordo, o crítico é culpado pela covardia de todos.

Anônimo disse...

é isso mesmo. vamos queimar o crítico em praça pública. ele é o culpado pela omissão de todos.

Anônimo disse...

teve um dos nossos que colocou luz sobre essa coisa toda. essa moçada aí se escondeu legal. dos organizadores e dos " empresários" da galeira ninguém nessa cidade esperava coisa diferente. mas do erro? ah! o erro! que decepção. ficar resmungando pelos cantos feito uma velha coitada.

Anônimo disse...

"A propósito, esta vírgula depois de "UFSC" é incorreta. Nunca separe o sujeito do verbo com uma vírgula. É a primeira lição de sintaxe."

huauhauhah
Boa!

Anônimo disse...

Os textos desses anônimos são do próprio autor desse blog.
É incrível como eles gostam do erro.

Victor da Rosa disse...

Está certo. Eu publico um texto no jornal, mantenho um blog com meu nome e quando o sujeito não tem mais nenhum argumento pra afirmar que "fujo da discussão" e todas estas bobagens - o sujeito, aliás, ele mesmo, um anônimo - então diz que os comentários anônimos são meus. O nome disso é desespero.

Anônimo disse...

acredito.

Anônimo disse...

é mesmo. todos os textos são do victor.
inventou a noite das marteladas. nada daquilo aconteceu; as madames do espaço não se lamuriaram e nem contaram as moedas perdidas; os organizadores não ficaram chocados diante de uma ação ousada (que horror, que bando!); enfim, o Erro não ficou chateado com a difamação e ficou no seu cantinho chorando as pitangas. tudo ficção.

Anônimo disse...

é mesmo victor. tu fica inventando que todo mundo é covarde, que ninguém mostra a cara, que todo esses artistas não debatem... coisa feia

Anônimo disse...

os organizadores chocados??
eu estava lá e vi um deles dando gargalhadas na hora das marteladas... (hehe) depois que as madames viram o q. estava acontecendo e se desesperaram é q. ele se ligou e ficou "chocado" ! i love you ERRO (martela, martela, martela o martelão) !!

Anônimo disse...

Parabéns: agora, além de amigos, você tem seguidores.

Victor da Rosa disse...

Pessoal que chega atrasado nas piadas também é bem-vindo.

olinda-maria azevedo machado disse...

Os pombos da Praça XV estão necessitados de leituras irlandesas e filosofia em alemão para debater arte exótica, pois, estão a ficar saturados e silenciosos com as festinhas dos colegiais. E como diria o crítico de bermuda e havaianas, antes e depois de passar pelo mercado - Prosit!