17.7.09

Um telefonema

[toca o celular, um número estranho, hm, não é normal, atendo]

- alô.

- alô, boa tarde, é o sr. victor?

[fodeu, é a primeira coisa que penso]

- sim, é o sr. victor.

- aqui é do não-sei-o-quê de cultura, ligo a pedido de sr. não-sei-quem pra convidá-lo pra uma reunião sobre o primeiro encontro-tal de cultura de florianópolis, amanhã, às 14h, você pode participar?

[organizo as informações e passa por mim uma vaga sensação de desconfiança]

- jamais ouvi falar algo a respeito do encontro-tal .....
você pode me explicar do que se trata?

- aí já não sei dizer, ligo a pedidos do sr. não-sei-quem


- e você não sabe pra que serve esta reunião? nem os assuntos que serão discutidos?

- sei, não, sr.

- e quem estará nesta reunião?

- o sr. não-sei-quem-um e o sr. não-sei-quem-dois
, até onde sei

- só?

- até onde sei

- estou sendo convidado pra uma reunião com dois srs. sobre um assunto que desconheço, é isso?

- é o encontro da cultura-tal, sr.

- e você sabe porque estou sendo convidado?

- sei, não, sr.


- e você já ouviu falar de mim alguma vez?

- nunca, não, sr.


- hm ......


- posso confirmar sua presença, sr?

- gostaria de falar com o sr. não-sei-quem-um, é possível?

- ele já saiu

- e o não-sei-quem-dois?

- também já saiu

- e o celular deles?

- não tenho permissão pra passar números pessoais, sr.

- então converso com alguém amanhã de manhã

- o expediente é a partir das 14h, sr.

- foda, hein?

- como, sr.?

- nada, não......

- posso confirmar sua presença, sr.?


- é claro que sim, estou curiosíssimo

- até amanhã, sr.

- até amanhã

[logo mais desvendarei o mistério]

3 comentários:

Anônimo disse...

[roendo as unhas] victor, estou curiosissíma. volta logo para desvendar esse mistério pra gente.

Victor da Rosa disse...

Então, eu fui, voltei e ainda não descobri o assunto da reunião. Acontece.

Anônimo disse...

deve ser uma reunião para arrumar alguma parede quebrada, não?