15.8.09

Diário de Gramado (VII)

Para o Caderno Variedades, do DC, aqui

A passagem de Xuxa por Gramado foi marcada por mínimos protestos e grandes contradições. O esquema de segurança foi digno de qualquer presidente do país. Mesmo os jurados tiveram que entrar no cinema por uma porta lateral. As primeiras poltronas do cinema foram reservadas apenas para fotógrafos e cinegrafistas. Nenhum jornalista com microfone na mão, por exemplo. A platéia, pela primeira vez, estava absolutamente lotada. O discurso de Xuxa enfatizou que o Festival supera um preconceito e faz homenagem a uma pessoa do.... povo. Ela, no caso. "Suburbana, do interior", segundo suas palavras.

*

Os protestos contra a presença de Xuxa em Gramado foram tímidos, mas existiram. Alguém da platéia gritou o nome de seu filme proibido, por exemplo. Mesmo o apresentador do Festival, Zé Victor Castiel, terminou sua fala com as seguintes palavras: "voltemos ao cinema". Também a diretora de Lluvia, longa-metragem argentino exibido após a homenagem, em sua fala de apresentação, enquanto Xuxa ainda se deslocava pelo corredor no meio de inúmeros fãs, não deixou em branco a passagem da rainha dos baixinhos pelo cinema: "aos que vieram aqui interessados no filme e não na Xuxa...."

*

Havia uma série de fãs que gritavam também pra Xuxa: você é gaúúúcha! Curiosamente, na noite de quinta-feira também aconteceu a premiação da mostra de curtas do Rio Grande do Sul e a exibição de Em teu nome, longa da mostra competitiva digirido pelo diretor gaúcho Paulo Nascimento. O bairrismo, como se viu, não foi pequeno. A platéia aplaudiu de pé um filme consensualmente médio, no máximo. Resta saber se eram os mesmos fãs que gritavam pra Xuxa alguns minutos antes: você é gaúúúcha!

4 comentários:

Victor da Rosa disse...

Hoje tem premiação. Escrevo minha última coluna depois, pra sair na segunda.

Tenho alguns palpites.

Júri de crítica: Canção do Baal e Gigante.

Júri oficial: Corumbiara e Gigante.

Júri estudantil: Corumbiara e Lluvia.

Júri popular: ....

Sobre os curtas, difícil demais. Nem o meu voto eu sei ainda. Aliás, tenho alguns minutos pra decidir.

Anônimo disse...

agora é fato mesmo, o festival de gramado está no auge de sua decadência.

Victor da Rosa disse...

Está claro que há algo que terão que resolver aí nos próximos anos. Alguns cineastas, como Ugo Giorgetti, preferiram estrear seu longa em SP e não em Gramado, por exemplo. É um sintoma. Em resumo, eu diria que o esquema é aquele de cantar Ópera na zona. Será que é possível? Quer me parecer que não.

Peter Gossweiler disse...

Xuxa em Gramado...sendo homenageada...pra tu ver como tudo é possível neste Mundo!!!