6.9.09

Garoto de Ipanema

Conheci o Rafael Campos Rocha há uns três ou quatro anos anos, por conta de uma exposição que Rafael realizou no espaço ARCO, de Florianópolis - Dimas, o bandido, referência a um rap dos Racionais. Eu era bem mais novo do que sou, naturalmente, estava começando a me interessar por artes visuais e lembro que duas coisas me chamaram atenção: Rafael parecia não ter muito pudor - eu ia dizer amor próprio, mas não é bem o caso - e falava de futebol pra um público que nem se interessava muito - e talvez falasse justamente por perceber que o público não se interessava muito. Na ocasião escrevi um texto sobre Dimas, o bandido, mas Rafael não gostou, parece - ele nunca me disse isso, mas a gente percebe - e nossa relação infelizmente acabou por ali.

Rafael voltou pra Florianópolis em julho, agora, por conta de uma exposição que realizou no Victor Meirelles; eu estou escrevendo bem melhor, segundo ele mesmo me disse; e desta vez trocamos até e-mails e acho que ficamos amigos. Recebo seus zines O poder do pensamento negativo, que são divertidíssimos, e não precisa ser amigo do artista pra receber; basta entrar aqui e pedir, sei lá. Garoto de Ipanema, abaixo, é um de seus últimos trabalhos autobiográficos.






Um comentário:

rafael campos rocha disse...

olha que legal vitor! agradeço a divulgação da obra desse pobre diabo. mas quem disse que eu não gostei do primeiro texto? gostei sim senhor! é que vc realmente está escrevendo melhor agora e naquela época estava me mandando do brasil! além do quê, folg em saber que gostas do "Poder do Pensamento Negativo"