3.9.09

Nota sobre a felicidade

Talvez a única forma de felicidade não esteja antes do desespero, mas depois. E desespero pode ser pensado dentro de seu significante mesmo: é quando perdemos completamente as esperanças em relação ao outro; não temos mais qualquer expectativas sobre nada. Aliás, se a felicidade está ligada a um processo mesmo de encontro com o outro, este processo deve suportar a provisoriedade e sua falência. De fato, o contrato apaga qualquer espaço de liberdade. O problema da expectativa, por sua vez, é a criação de uma imagem que de qualquer maneira é falsa, sempre. E a vingança do Real vem a galope. Por isso a felicidade está ligada, a meu ver, com um domínio das faltas e não com um acúmulo das conquistas, como se quer. Não há felicidade possível que não esteja diretamente ligada portanto com a desistência da espera. Felicidade, em outro termos, pode ser justamente aquilo que chamamos de tristeza.

Um comentário:

Anônimo disse...

"Por isso a felicidade está ligada, a meu ver, com um domínio das faltas"

acho que por isso foucault flertou com o zen budismo.