16.10.09

Manifesto da Arte Mané [versão 1]

As pessoas fazem literatura e arte na ilha de Florianópolis há mais de 50 anos e nunca aconteceu nada, então imaginei que - nós, da Fundação Siri - devemos fazer algumas propostas.

Entendemos que Neném da Costeira é muito mais nocivo à ordem pública do que toda uma Conferência de Cultura reunida.

Entendemos que assistir a uma partida de futebol entre Avaí e Figueirense, na Ressacada, é muito mais divertido do que visitar o MASC em dia de vernissagem.

Entendemos que o surf deve ser considerado uma definição artística e o nome da praia da Joaquina deve ser mudado para Belas Artes.

Exigimos que o prefeito Dário Berger deixe de namorar uma cantora de forró de Barreiros e faça um cursinho rápido de história da arte no SENAC sob a orientação de Jayro Schmidt.

Exigimos que o jornalista Luis Carlos Prates faça pelo menos um comentário semanal sobre a situação da arte mané, sendo que NÃO É NECESSÁRIO - ou, antes, pelo contrário - que Prates mude o tom de suas falas.

Exigimos o mesmo de Cacau Menezes, se não for pedir muito.

Exigimos que a Fundação Catarinense de Cultura patrocine o time de futebol de Joinville - que anda precisando, aliás - pois assim terá mais divulgação e também o respaldo do governador Luís Henrique da Silveira.

Exigimos por fim que a Fundação Siri tenha poder sobre todos os museus, editoras, campos de futebol e cargos comissionados da cidade.

Omar Piando,
presidente da Fundação Siri

Um comentário:

Anna disse...

Nome ruim para uma fundação. Siri só anda de lado!