31.3.10

Jornalismo de portal

É óbvio que o jornal sempre foi uma mídia ligada ao capitalismo. Ali a escrita, desde sempre, é dinheiro. Por outro lado, o jornalismo sempre quis se justificar por algo que podemos chamar de interesse público. Mas eu acho, salvo engano, que o interesse público no jornalismo não passa de um embuste. Hoje os portais escancaram que jornalismo é sinônimo de espetáculo. Não é em vão, e todo mundo sabe disso, que um jornal mantém seus leitores graças ao colunismo social. O resto é perfumaria. Não há prática que represente tão bem um jornal quanto o colunismo social. Nelson Rodrigues, por exemplo. Foi basicamente um colunista. É só ler a sua biografia. E não deve haver pudor nenhum em admitir isso. Nelson foi educado na escola do jornalismo sensacionalista, como se diz. Que era, no mínimo, mais divertida. A única diferença é que Nelson era um colunista que falava mal dos outros. Por exemplo, ontem as manchetes dos portais eram as seguintes: 1) Maradona foi mordido por seu próprio cachorro e encontra-se internado; 2) Pavan, governador de SC, em visita a Paris, é confundido com Gerard Depardieu; 3) Rick Martin assume que é gay; 4) Cães e gatos vão ganhar passaporte internacional; 5) Madonna gostaria que sua filha Lola usasse roupas mais recatadas. Em outras palavras, o limite entre o que é notícia e o que é novela no jornalismo parece um dos embates mais fundamentais de sua história. Os portais são um capítulo à parte.

4 comentários:

Anônimo disse...

marilena chauí tem um texto bacana sobre o esvaziamento da esfera púbica de assuntos de ordem pública/política e seu preenchimento de assuntos da ordem do dramalhão pessoal. é claro que isso tem suas implicações e o jornalismo espetáculo é só uma delas.
bem, ela escreve isso em uma vinte páginas, vc em vinte linhas. boa sacada!

Callas disse...

Victor!!! Saudade! Tais em BH? Me manda teu email, não consigo acessar ao teu pelo perfil. Beijos lindo!

P.S.: depois comento os posts,por agora, a emoção do "descobrimento".

gilvas disse...

diagnóstico acurado de uma situação deveras antiga.

Victor da Rosa disse...

karen, me escreva: victordarosa@gmail.com beijo!