17.8.10

Atores, né?



Enfim, um líder talvez seja a peça em que o ERRO GRUPO, aqui, conseguiu levar mais longe a relação entre arte e meios de comunicação. Digamos que a dramaturgia, neste peça, consiste na própria publicidade sobre a peça - no caso, a chegada de um suposto líder que, naturalmente, não chega - realizada através de carros de som, folhetos, cartazes, releases e toda a mídia que se possa imaginar. A divulgação, por sua vez, não é mais um discurso que representa a peça, mas a própria peça. O meio, em outras palavras, como quer McLuhan, é a mensagem. Durante três dias, de fato - quarta, quinta e sexta-feira, das seis da manhã às oito da noite - os atores (são quatro) realizam uma série de performances que tem como único objetivo, segundo o discurso que adotam, receber um grande líder - um líder religioso? político? - que chegaria exatamente às 19h do último dia. Dá certo. Entre realidade e ficção - por acontecer na rua, nem todos sabem que se trata de uma peça teatral - a expectativa é criada.

É neste contexto que dois atores do grupo, Luiz Martins e Luana Raiter, foram até um canal de televisão local, a TV COM, e deram uma entrevista ao Luis Carlos Prates, aqui, naquela que considero uma das melhores realizações do grupo. Luiz e Luana - que ficam em uma espécie de entre-lugar entre atores e personagens (são apresentados como atores, por exemplo, mas tem o discurso dos personagens, inclusive o figurino) - reafirmam o tempo inteiro que não se trata de um espetáculo, mas de uma grande recepção, deixando o entrevistador constantemente perdido. Se acreditamos no possível, tudo é possível, diz Luiz, que confessa ter lido a coluna do Prates naquele mesmo dia. O discurso dos atores/personagens operam no limite - da dúvida, do cinismo, da ficção. Diante de um olhar incrédulo de Prates, Luana afirma, em clara apropriação do discurso de auto-ajuda - que, como se sabe, é o próprio discurso do apresentador: Os homens não vivem em vão! No final da entrevista, Prates fica em dúvida se de fato conversou com atores: conversei com os atores.... atores, né? A dúvida de Prates é a marca final da própria efetividade do procedimento do grupo.

16 comentários:

Í.ta** disse...

achei ótema tua descrição!

Anônimo disse...

Enfim um Líder Voltará!

Anônimo disse...

Tu gostas mesmo desse grupinho que gosta de quebrar a propriedade dos outros hem? eles precisam encenar a peça, " enfim fomos presos". Eles fingem que são artistas, nada mais. Abre o olho.

Anônimo disse...

CONCORDO! ufa!
"enfim enganamos os bobos" e tem gente que pensa que eles são artistas.

Anônimo disse...

E mais. Para mim é a pior coisa que vi nesses últimos 10 anos. Horrível. Horrível.

Victor da Rosa disse...

eu já gostava antes; agora que eles são patrocinados pela petrobrás, eu gosto mais ainda.

Anônimo disse...

Por isso essa corja do PT tem que cair o fora. Torço para que o Serra vença e privatize esse antro e cabide de emprego dessa raça toda. Serra neles. Quem sabe assim, farsantes como esse grupo não terão como sobreviver enganando gente sem cultura, sem gosto e inocentes. Tudo isso é um erro. Tu está em qual categoria?

Boppré disse...

tem gente ressentida mesmo. torço que esse(s) anônimo(s) assistam de suas poltroninhas e em suas caixas brancas toda a arte que desejam e que o erro mostre seus trabalhos, seja quebrando a propriedade dos outros, ou enganando burros. fingir que é artista é ótimo. e vc anônimo, finge também? pena que fingir ser anônimo não funciona tão bem.

Anônimo disse...

Enfim um Blog!
Há tempos que este blog estava morto. É só falar do Erro que os anônimos aparecem.
Está feliz, Victor?

josé alvarez disse...

Horrivel é essa maneira de falar do trabalho dos outros. Arte é feita com coração, dedicação e pensamento. Pra mim esse trabalho é o melhor drama que já presenciei. E arte é feita para gerar emoções. Parabéns pelo belo trabalho deste grupo, que com sua poética desperta os mais distintos sentimentos.
Quem quiser sair da ignorância e da inveja deste sistema corrosivo, venha ver o nosso espetáculo O Buraco do Oráculo, no teatro da UFSC amnhã as 19 horas.

Anônimo disse...

VIVA O ERRO NA ILHA DO DESTERRO! EU ADORO ELES, UM GRUPO TODO FORMADO POR MANEZINHOS!

Zé disse...

Uma sugestão aos colegas Anônimos que só entendem as novelas globais:
Chegou a nossa hora.Vamos recepcionar o grande líder Anônimo. Nosso Messias vem aí.
Venham, Anônimos!
É hora de (des)aparecermos!

jean mafra em minúsculas disse...

gente, o que virou isso!??

anônimos são o que há de pior na internet.

e estou assistindo o maldito prates por sugestão sua victor!

Joana Valenti disse...

incrível! o ERRO é demais (desculpa anônimos)! lembro de chegar na UFSC e ver rosas e enfim um líder escrito com areia no chão e assim que olhei para o lado, estavam eles todos arrumados, olhando para o céu. o que mais gostei é como o teatro deles se mistura com o lugar. demorei para entender que aquilo era teatro. a (não) chegada do líder na ufsc foi emocionante. os alunos de letras traduziram o discurso em diversas línguas e realmente entraram no jogo.
Vitor, você sabe se eles vão apresentar essa peça de novo?

Victor da Rosa disse...

olá, joana
'enfim, um líder' eu ainda não sei, talvez neste ano ainda
agora o grupo está ensaiando uma peça chamada 'formas de brincar' e quando estrear eu divulgo por aqui

joana disse...

obrigada por responder. ficarei no aguardo.