24.1.11

Poses & posições (II)



¿Qué es un autor?,
título da conferência que Michel Foucault proferiu em sua entrada no Collège de France, é o título de uma exposição de dois fotógrafos argentinos: Sebastián Freire e Paola Cortés Rocca, que consiste justamente em uma série de retratos de escritores e críticos contemporâneos. Na exposição, que passou pela UFSC no ano passado, dentro de um simpósio de literatura argentina, estão escritores mais velhos como Rodolfo Fogwill e Edgardo Cozarinsky, mas também escritores mais novos como Pola Oloixarac. Entre o gênero do retrato mesmo e as fotografias de moda - há um forte traço de artificialidade nelas (quase todas, provavelmente, são realizadas em estúdios, além de passarem por manipulação digital) - pode-se dizer que a exposição é conduzida por um desejo poético: fugir da construção dos tipos; em outras palavras, os escritores, uns mais e outros menos, não se parecem com escritores.

No retrato de Fogwill, por exemplo, feito por Sebastián, além da nudez de sua figura e do fundo, não há qualquer acessório - tão comum nos retratos do século XIX, mas também entre os fotógrafos contemporâneos (escritores geralmente aparecem ao lado de livros, em suas bibliotecas, ou com tinteiros sobre a mesa) - digo, não há qualquer acessório que indique sua posição social: a atividade literária, no caso. Com uma estratégia exatamente oposta, mas que deve chegar no mesmo lugar, o retrato de Pola, por Paola Cortés, desfaz o estereótipo do escritor através de um excesso de artifício: o artifício da pose, das cores estouradas, do erotismo e do figurino barroco. A pergunta do título, portanto, na medida em que parece ser ignorada pelas fotografias, deve se voltar contra ela própria: a exposição parece nos responder justamente sobre o que não é um autor.

Nenhum comentário: