17.2.11

Os livros que eu não li

Não li, não sou obrigado a ler. Não li os livros queimados, os palimpsestos apagados. Não li os livros que meu pai escreveria caso ele soubesse escrever. Não li os romances de James Joyce; afinal, quem leu? Não li os poemas de Coelho Neto; quem leu? Não li A Divina Comédia, As Mil e uma noites, Os Sertões, Os Irmãos Karamazov; não deu tempo. Não devia ter lido tantos livros do Ítalo Calvino. Sou um erudito às avessas. Não li os mais lidos, os mais vendidos, os apedrejados. Não li sequer um verso do Affonso Romano de Sant'Anna, quase nada do Cruz e Sousa, a coluna semanal do Ferreira Gullar. Não li A Moreninha, Leite Derramado. Aliás, não li quase nenhum romance brasileiro do século XIX; tenho mais o que fazer. Não li os poemas de Mário de Andrade, não li Balzac, estou esperando chegar aos trinta. Não li os romances de Susan Sontag, de Umberto Eco; penso que os críticos devem ter o bom senso de escrever romances curtos. Não li A Teoria Estética do Adorno, nada do Alfredo Bosi, nada do Afrânio Coutinho. Jamais li um livro de espuma, de vento, de nada. Não li a metade dos meus amigos; os meus inimigos não me mandam mais os seus livros pelo correio. Li metade da metade da metade. Passei muito tempo sem conseguir terminar de ler um romance do Lobo Antunes, mas ele continuava sendo um dos meus escritores preferidos. Nunca li um romance com dez mil páginas. Não li tantos romances longos, comecei a ler Dom Quixote, parei várias vezes, estou lendo outra vez, mas posso dizer que não li. Não li por falta de curiosidade, fadiga. Não li absolutamente nada de Jorge Amado, nem uma linha, mas não perdia as mini-séries na televisão quando era adolescente. Não li os poetas malditos, os escritores suicidas, os romancistas que nunca foram capazes de terminar sua obra-prima. Não li grandes gênios, os maiores, os imortais, os insuportáveis. Tenho amor próprio. Não li nada do que cheira a mofo, a pó. Não li os livros de José Sarney, mas morro de curiosidade. Não li as virgens, as donzelas, as putas, as piranhas, as drogadas. De fato, estou perdendo tempo. Não li Sarmiento, não li os poemas de Borges, os romances de Gabriel García Marquez, não li. Não quis ler, então não li, não pude, não deu tempo.

22 comentários:

gilvas disse...

não dá tempo mesmo, ainda mais nesses tempos bicudos, mas eu, hoho, li marquez, dois romances, eu acho. li borges embora os poemas tenham me escapado. não li jorge amado, mas li dostoievski. tenho preguiça de ler cervantes, não sei exatamente porque. li sontag e li eco, sim, gosto deles, embora o eco possa ser verborrágico demais por vezes. ah, se o tempo pudesse ser realmente nosso...

Fabricio C. Boppré disse...

Tenho um amigo que tem uma camiseta escrito assim: "eu escuto bandas que nem existem ainda" [risos]

Anônimo disse...

então vai ler, porra!

Anônimo disse...

é o andré. saiu anônimo. não li o recado "escolher uma identidade".

Anônimo disse...

Eu não li nenhum livro do Antelo.

Fabricio C. Boppré disse...

Ô Victor, já que tu não lê nada, uma sugestão: procura o livrinho do Nick Cave (sim, aquele cantor que aparece no Asas do Desejo). Ele tem já uns dois ou três, mas sei que o último foi publicado aqui no Brasil. Saca só um trecho: http://biajoni.opsblog.org/2010/10/26/a-morte-de-bunny-munro-trecho/. Parece bom, hein?

monica siedler disse...

Eu não li também, e sinto muita culpa (mais do que vergonha).
Conhecer a Daniela desde minha infância pode ter influenciado negativamente minha educação.
Pronto, não me sinto mais culpada. A culpa é da Daniela.

Anônimo disse...

mas tu leu pergunte ao pó, né? ou era só papo? puxa, li esse livro por tua causa...

Victor da Rosa disse...

Este é curtinho! Se você só lê livros curtos, fica mais erudito que os outros.

Anônimo disse...

ah, por isso que gostei do gonçalo m. tavares, já li 4 em dois ou três meses, um, inclusive, li na livraria mesmo e aí nem comprei.

jean mafra em minúsculas disse...

lindo post, victor. mesmo.

mas não ler os sertões é imperdoável, leia.

gabriel garcía marquez também merece uma chance.

jean mafra em minúsculas disse...

ah, eu, assim como este andré, não li antelo.

quem leu?

Rosana Vilas disse...

Só uma coisa....e você se orgulha disso ou está se lamentando??

Victor da Rosa disse...

Nem um; nem outro.

miimss disse...

Puxavida, e eu que li todos, comofaz?

tim maia disse...

em literatura vale tudo, só não vale dançar homem com homem e nem mulher com mulher

Anônimo disse...

"em literatura vale tudo, só não vale dançar homem com homem e nem mulher com mulher"

WTF???? antigamente os anônimos eram mais engraçados...

Í.ta** disse...

não ler é tão importante quanto ler, diz o schopenhauer. este tu já leu?

Anônimo disse...

victor, esse teu post meu encorajou a escrever sobre os filmes que não vi... se eu tivesse blog.

agora, essa tua foto nova merecia um comentário a parte. aliás, merecia um post a parte.

qué isso???

Victor da Rosa disse...

hahahaha

qual!?

Anônimo disse...

ahhh, tu é vaidoso, heim?

é que pá, não te favoreceu. parecias uns 20 anos mais velho, jornalista, pai de família, divorciado e decepcionado com tudo. e tipo, sede não é nada, identificação é tudo.

rs.

do leme ao pontal disse...

anõnimo não gostou, troca de canal!