28.3.11

promessa é dívida

7 comentários:

Anônimo disse...

presado vitor,
ontem, quando fui na banca colocar crédito no meu celular vi um cara lendo algo sobre pirigueti o que me fez comprar o jornal, coisa que eu não faço nunca. estou te escrevendo para dizer que, tipo assim, me identifiquei muito com seu texto no dc, parece até que vc me conhece, que me conhece por dentro, sabe? nossa, vc sabe até o que toca no meu celular! andou me seguindo, é? haushauasHaaus
então, sabe, gostaria de te conhecer melhor e pencei se vc tiver afim qualquer dia a gente podia se encontrar em algum pagode que tiver rolando, o que achas?
vou te deichar meu email do hotmail e se quizer podemos bater um papo no msn lulihzynhah@hotmail.com. depois te passo meu facebook, tá bom.

bjus

Alessandra Knoll disse...

Acho que a piriguete é só mais uma forma de percebermos a generalização das relações interpessoais como um instrumento. Não é só as mulheres que fazem dos outros um objeto (de prazer, riqueza, status, favores... ou o que seja)...isso vai desde de relação familiar até mesmo à questão da venda de voto. As pessoas não pensam no bem comum ou no próximo, mas nós seus próprios prazeres supérfluos.

Nessas horas, me pergunto a mesma coisa que anos atrás todos nós perguntávamos e continua sem resposta:

"Ficaremos acordados
Imaginando alguma solução.
Prá que esse nosso egoísmo
Não destrua nosso coração."
(acho que não se faz necessária a referência)

jean mafra em minúsculas disse...

bacanuco, victor.

miimss disse...

po, Victor, mais simples que isso e toda mujer sabe: piriguete é aquela que não passa frio.

Anônimo disse...

pirigueti é a tchutchuca que aprendeu a se virar. e se vira bem, exceto, é claro, no vestibular.

Anônimo disse...

ah, a propósito: saiu na versão online da ilustrada e tá na página inicial do uol:

Maria e a revolução da "periguete"

http://www1.folha.uol.com.br/ilustrada/894883-nina-lemos-maria-e-a-revolucao-da-periguete.shtml

Victor da Rosa disse...

A Folha precisa de um revisor!