3.10.12

O samba de Assis Valente

Há um consenso em dizer que a grande geração da música brasileira - e até da arte - está na década de sessenta: João Gilberto, Elis, Caetano, Chico, etc. Mas a geração de 30 também não é brincadeira. É uma década que começa com Noel Rosa e termina com Dorival Caymmi.

Nos últimos dias, passei a escutar este sambista do qual pouco se fala, embora se toque bastante: Assis Valente. É um sambista tipicamente carioca que se suicidou endividado em 1958, depois de compor sucessos como "E o mundo não se acabou" e "Brasil Pandeiro".

Um comentário:

odiagonal disse...

raiz do samba de raiz é legal. na verdade, qualquer coisa vale pra dar uma chacoalhada nas rodinhas de samba que existem por aí. mesmo repertório há 30 anos não é mole, não.

tô deixando um zeca pra inspiração, mas também poderia ser thiaguinho.

http://www.youtube.com/watch?v=adzqxhd00HI