24.12.13

Murakami

Acabei de ler 1Q84, do escritor japonés Haruki Murakami. Na verdade, trata-se de um romance enorme dividido em três livros, e eu só li o primeiro. Do Murakami, eu havia lido há umas semanas Do que eu falo quando falo de corrida, que consiste em um relato sobre a experiência do escritor como maratonista. É um livro honesto. Murakami chegou a correr 100km em uma ultra-maratona e, pra quem se interessa mais ou menos pelo assunto, acaba simpatizando com o livro. Em resumo, você sente que o escritor tem algo a dizer. Por outro lado, 1Q84 me pareceu muito fraco, embora tenha lido essa primeira parte até o fim! Primeiro achei uma escrita artificial, como se tivesse problemas de tradução; mas depois cheguei à conclusão que Murakami que é chato mesmo. Explicações exaustivas, diálogos intermináveis, muito senso comum e sabedoria da floresta. Toda hora você encontra frases como: "Olha que o doutor Freud vai ficar aborrecido, hein?" Não sei porque li até o fim, mas deve ser porque tem sexo, sangue e mistério no livro. Quer dizer, sangue nem tem muito. Bom, é um best-seller que, só no Japão, vendeu aproximadamente 4 milhões de exemplares, então eu imagino que Murakami domine estas ferramentas todas e saiba levar na conversa qualquer tipo de leitor. Um amigo disse que é um escritor meio juvenil, e acho que tem razão. Seja como for, não pretendo continuar lendo os outros dois livros. Se alguém encarar, pode me contar o final.

2 comentários:

Fabricio C. Boppré disse...

Victor, um outro amigo já tinha me desestimado a ler estes livros. Veja o que ele escreveu a respeito aqui: http://charllescampos.blogspot.com.br/2013/12/1q84-volume-2.html

Victor da Rosa disse...

Legal o texto do Charlles. Abraço!